A MSD investiga, fabrica e comercializa medicamentos inovadores, comprometendo-se a desenvolver vacinas e medicamentos que englobem vários aspectos da intervenção terapêutica nas áreas médicas e cirúrgicas.

anestesia

 


Anestesiologia

Em 2010 a companhia alargou o seu portefólio disponibilizando, desde então, opções terapêuticas na área da Anestesiologia, onde pretende manter um forte empenho no desenvolvimento de medicamentos inovadores.

A anestesia é um componente fundamental das intervenções médicas e cirúrgicas que podem causar ansiedade e dor muito intensa, permitindo aboli-la, permitindo controlar reflexos fisiológicos.A palavra “anestesia” deriva do grego e define uma “ausência reversível de sensações e/ou consciência”. Trata-se de um estado induzido por medicamentos onde a sensibilidade (incluindo a dor) é bloqueada ou temporariamente removida, o que torna possível a execução de procedimentos terapêuticos e diagnósticos sem a angústia e a dor associados.
A anestesia pode ser classificada em:
  1. Anestesia local (apenas um local especifico e restrito do corpo é “adormecido”)
  2. Anestesia regional (envolve uma maior área do corpo, com anestesia aplicada a um grupo de nervos. Ex, anestesia raquidiana e epidural)
  3. Anestesia geral (a anestesia induz inconsciência e ausência de qualquer sensação).
Uma ampla variedade de drogas é usada na prática anestésica moderna. Os anestésicos são classificados em: anestésicos gerais, os quais causam perda reversível da consciência (anestesia geral) e anestésicos locais, que causam anestesia reversível numa zona do corpo específica e limitada.A anestesia geral torna possíveis as condições adequadas para o doente e para o cirurgião, durante operações complexas e longas, permitindo que o doente esteja:
  • Inconsciente
  • Sem dor
  • Com relaxamento muscular

O desenvolvimento de fármacos relaxantes musculares contribuiu significativamente para o progresso médico na área da anestesia, permitindo um relaxamento muscular global essencial no desenrolar duma cirurgia. A anestesia geral inibe alguns reflexos fisiológicos, nomeadamente da respiração espontânea (pela indução de paralisar as condições ótimas à realização da intervenção cirúrgica) pelo que, os doentes submetidos a anestesia geral são monitorizados continuamente durante o procedimento (avaliação tensão arterial e ritmo cardíaco, nível de oxigenação do sangue, temperatura, etc).Quando a cirurgia termina, a recuperação da força e actividade dos músculos é retomada pela administração de fármacos reversores da anestesia, assegurando um rápido e completo acordar com recuperação de reflexos, incluindo o retornar à respiração normal.Este conteúdo é meramente informativo, sendo os profissionais de saúde quem melhor podem responder a todas as suas questões sobre esta doença.