O colesterol é um tipo de gordura (lípido) natural que circula no sangue e que é necessário ao bom funcionamento do nosso organismo

Porém, quando os valores de colesterol são elevados, constitui um dos factores de risco para desenvolvimento da doença cardiovascular, podendo resultar por exemplo num enfarte (enfarte do miocárdio) ou num Acidente Vascular Cerebral (AVC).

O colesterol provém de duas fontes: o fígado (produzido pelo nosso organismo) e o intestino (proveniente da nossa dieta).

Para circular no sangue o colesterol necessita de um meio de transporte, as lipoproteínas. Há dois tipos de colesterol consoante o tipo de lipoproteína a que este se associa:

C-LDL (“colesterol mau”): o colesterol transportado pelas lipoproteínas de baixa densidade (LDL), abreviado em C-LDL nas análises clínicas ou denominado em termos latos por “colesterol mau”, é prejudicial pois pode acumular-se nas artérias formando placas de colesterol (ateromas). Com o passar do tempo, estas placas aumentam de tamanho e podem obstruir as artérias. Este processo de acumulação de colesterol e endurecimento das artérias chama-se aterosclerose. A obstrução das artérias que fornecem sangue ao coração pode provocar um enfarte. Quando esse bloqueio acontece nas artérias que fornecem sangue ao cérebro acontece um acidente vascular cerebral (AVC).

C-HDL (“colesterol bom”): o colesterol transportado pelas lipoproteínas de alta densidade (HDL), abreviado em C-HDL nas análises clínicas ou denominado em termos latos por “colesterol bom”, ajuda o organismo a eliminar o “colesterol mau” que se acumula nas artérias. Este colesterol também tem outras propriedades benéficas, tais como anti-inflamatórias.

Há ainda outro tipo de partículas de gordura no sangue que, quando em quantidade elevada, podem igualmente aumentar o risco de desenvolvimento de doença cardiovascular: os triglicéridos.

O nível elevado de C-LDL no sangue é chamado hipercolesterolemia. O colesterol é medido em mg/dl de sangue (unidades) e na população em geral o valor de C-LDL deve estar abaixo dos 115 mg/dl. Quando há factores de risco cardiovascular já presentes, este valor deve ser inferior a 100 mg/dl. Quando o risco cardiovascular é já muito acentuado este valor deve ser ainda mais baixo, inferior a 70 mg/dl.

A primeira causa de morte em todo o Mundo é a doença cardivascular, sendo o AVC o principal factor em Portugal. Está demonstrado que o nível alto de C-LDL em conjunto com o tabagismo e a hipertensão são os principais factores de risco cardiovascular. Outros factores que contribuem para este risco são as concentrações baixas de C-HDL, concentrações elevadas triglicéridos, a diabetes e a obesidade. Em Portugal, mais de metade da população tem níveis de C-LDL elevados (63%) e níveis baixos de C-HDL (32%). Uma boa alimentação, a perda de peso e o exercício físico são factores importantes para controlar os níveis de colesterol no nosso organismo, mas, em muitos casos, é difícil manter os níveis de colesterol nos valores considerados saudáveis. Quando estas medidas não são suficientes é necessário recorrer ao uso de medicação. Quando esta medida for indicada pelo seu médico, é muito importante que a medicação não seja interrompida, pois os valores voltarão a aumentar. Aconselhe-se com o seu médico.

Este conteúdo é meramente informativo, sendo os profissionais de saúde quem melhor podem responder a todas as suas questões sobre esta doença.