Gentil Martins vence Prémio Miller Guerra para a carreira hospitalar

Logotipo prémio miller

É a primeira edição dedicada à medicina hospitalar do Prémio Miller Guerra, no valor de 50 mil euros, instituído pela Fundação Merck Sharp Dohme e Ordem dos Médicos para distinguir a dimensão humanista da medicina em Portugal. O vencedor é Gentil Martins, que se distinguiu enquanto cirurgião pediátrico e bastonário da Ordem dos Médicos. O ministro da Saúde, Paulo Macedo, presidirá à cerimónia da entrega do prémio em 26 de maio.

Gentil Martins, médico especialista em cirurgia pediátrica e cirurgia plástica e reconstrutiva, ex-professor da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade de Lisboa e ex-bastonário da Ordem dos Médicos, foi hoje escolhido como o vencedor da segunda edição do Prémio Miller Guerra de Carreira Médica, a primeira dedicada à carreira hospitalar

O júri do Prémio Miller Guerra de Carreira Médica, instituído pela Fundação Merck Sharp Dohme e pela Ordem dos Médicos, escolheu Gentil Martins para “galardoar um profissional médico que se distinguiu por uma carreira exemplar dedicada ao serviço dos doentes e ao progresso da assistência médica em Portugal, não só na sua vertente tecnológica mas também, e sobretudo, pela prática humanista no exercício da medicina, como era apanágio de Miller Guerra”.

Em 2013, na primeira edição deste prémio que foi dedicada à medicina familiar, o escolhido foi o médico Mário Moura, clínico geral que se dedicou à medicina familiar e clínica geral em Setúbal.

Das 18 candidaturas apresentadas, esta foi para o júri a que melhor se adequava ao espírito do prémio para a carreira hospitalar. É um prémio bienal, pecuniariamente muito relevante — 50 mil euros —, que nesta segunda edição se destinou a escolher um profissional da medicina hospitalar. A próxima edição voltará a ser destinada a um médico da medicina familiar.

A 2ª Edição do Prémio Miller Guerra de Carreira Médica será entregue na sede nacional da Ordem dos Médicos, em Lisboa, em sessão solene a realizar na próxima terça-feira, dia 26 de maio, pelas 11 horas, a qual será presidida pelo ministro da Saúde, Paulo Macedo. Na entrega do galardão participarão também o presidente e vice-presidente do júri, respetivamente o bastonário José Manuel Silva e o presidente da Fundação Merck Sharp Dohme, Toscano Rico.

Para além de José Manuel Silva e de Toscano Rico, o júri foi composto pelos presidentes das secções regionais do Norte, Centro e Sul da Ordem Médicos e por um membro da direção da Fundação Merck Sharp Dohme. Para além deles, António Correia de Campos foi o membro escolhido pela Fundação para representar a sociedade civil.

O júri contou igualmente com um membro médico da comunidade académica indicado pelo Conselho de Reitores, António Rendas, e com os presidentes da Associação dos Médicos de Medicina Geral e Familiar e da Associação dos Médicos de Carreira Hospitalar.

Quando o prémio foi instituído em 2012 decorria, precisamente, o centenário do nascimento do Professor João Pedro Miller Pinto de Lemos Guerra. Transmontano de Vila Flor, licenciou-se em Coimbra e prosseguiu a sua careira científica investigando semiologia neurológica ao lado de Egas Moniz. Professor universitário em Lisboa, diretor do serviço de Neurologia do Hospital de Santa Maria, membro da Academia de Ciências, bastonário da Ordem dos Médicos, foi também deputado da “Ala Liberal” com Sá Carneiro, Magalhães Mota, Mota Amaral, Pinto Balsemão, entre outros.

Em todas estas atividades Miller Guerra sempre se distinguiu pela inteligência e vasta cultura geral, pela curiosidade científica e pela disponibilidade permanente para os outros (ver anexo). É essa dimensão humanista, tal como o exemplo de uma carreira exemplar ao serviço dos doentes e do progresso da assistência médica em Portugal, que o prémio com o seu nome pretende homenagear.