Comissão Europeia aprova medicamento inovador para o tratamento do cancro do pulmão

Fármaco da MSD passará a poder ser comercializado nos 28 estados membros da União Europeia

Existe uma nova esperança para doentes com cancro do pulmão de células não-pequenas (CPCNP), o tipo mais comum de cancro de pulmão. Foi autorizada pela Comissão Europeia a comercialização de pembrolizumab, um fármaco de imuno-oncologia da MSD, para o tratamento do CPCNP avançado cujos tumores expressam PD-L1

“O cancro do pulmão representa a principal causa de morte por cancro em todo o mundo, e este marco destaca a importância da inovação e o compromisso com o desenvolvimento de novos tratamentos que possam ter um impacto positivo para os doentes que vivem com esta doença” indica Stefania Vallone, presidente da associação Lung Cancer Europe.

O cancro do pulmão, que se forma nos tecidos dos pulmões, geralmente nas células que revestem as passagens de ar, é a principal causa de morte por cancro em todo o mundo. A cada ano, morrem mais pessoas de cancro do pulmão do que morrem de cancros do cólon, da mama e da próstata combinados. Os dois principais tipos de cancro do pulmão são o cancro do pulmão de células não-pequenas e o de pequenas células. O cancro do pulmão de células não-pequenas é o tipo mais comum de cancro do pulmão, contribuindo para cerca de 85% de todos os casos. A taxa de sobrevivência relativa a cinco anos para doentes que sofrem de cancro do pulmão avançado metastático (Estádio IV), estima-se ser de 2%.

Pembrolizumab demonstrou aumentar a sobrevivência global dos doentes de forma significativa quando comparado com o tratamento padrão comquimioterapia.

Este fármaco inovador faz parte de um grupo de novos medicamentos contra o cancro que utilizam o próprio sistema imunitário do doente para combater as células tumorais. Estas terapêuticas imuno-oncológicas têm-se afirmado nos últimos anos como uma das principais fontes de esperança para o tratamento do cancro na medicina moderna.

Leia o comunicado aqui

Publicado a