A MSD for Mothers (“MSD para Mães”) é uma iniciativa que tem por base salvar a vida de mulheres durante a gravidez e o parto.

“MSD para Mães” é uma iniciativa a longo prazo da MSD, em colaboração com vários parceiros de saúde à escala global, para reduzir a morte de mulheres associadas a complicações durante a gravidez e o parto.
Esta iniciativa irá ajudar a fazer a diferença na vida de pessoas por todo o mundo. A mortalidade associada à gravidez é uma das tragédias de saúde mais antigas e mais facilmente evitável em todo o mundo.

Acreditamos que esta iniciativa terá um grande impacto na sociedade.“MSD para as Mães” centra-se nas duas principais causas de mortalidade materna: hemorragia pós-parto e pré-eclampsia e também em planeamento familiar, pois é sabido que um planeamento familiar correcto tem um papel preponderante na redução da mortalidade materna.

Programa de Doação MECTIZAN®: Mais de 25 anos

O nosso compromisso: “Tanto quanto necessário, enquanto necessário….”

A cegueira dos rios importunou durante séculos as remotas comunidades em África, América Latina e Iémen, não existindo qualquer resposta para esta epidemia.

Em meados de 1970 esta realidade começou a mudar, quando o Dr. William Campbell, investigador da MSD, sugeriu o uso da Ivermectina (mais tarde denominado Mectizan) para o tratamento da cegueira dos rios em humanos. No seguimento da investigação de laboratório desenvolvida pelo Dr. Campbell, outro investigador da MSD, Dr. Mohammed Aziz, defendeu o desenvolvimento clínico do Mectizan. O Dr. Aziz liderou a parceria com a Organização Mundial de Saúde (OMS) no início de 1980, com o objetivo de desenhar e implementar estudos de campo na zona Oeste de África, que, ultimamente, provaram a efetividade deste medicamento no combate à cegueira dos rios.

Em 1987, a MSD assumiu o compromisso de doar Mectizan, tanto quanto necessário, enquanto necessário, com a finalidade de erradicar a cegueira dos rios.

Perante este desafio de erradicar a cegueira dos rios, os responsáveis da MSD reconheceram que muitas organizações com competências únicas teriam que colaborar em conjunto como uma equipa. Por forma a permitir esta colaboração conjunta, a MSD criou o Programa de Doação de Mectizan (PDM), uma parceria público-privada inovadora. A operar a partir da sede em Atlanta, a equipa criada para gerir o Programa, coordenou técnica e operacionalmente as atividades entre a MSD, a OMS, o Banco Mundial e um conjunto alargado de parceiros públicos e privados.

Aproveitando o sucesso da implementação do programa de cegueira dos rios, em 1998 a MSD alargou o seu compromisso de incluir no Programa de Doação de Mectizan, a doação do medicamento para outra doença, a filariose linfática, também conhecida como elefantíase, nos países africanos e no Iémen, onde coexistem com a cegueira dos rios. Para a filariose linfática, o Mectizan é administrado em conjunto com albendazole, um medicamento doado pela GSK.

Após 25 anos, os resultados do PDM refletem o sucesso deste programa de doação. Existem vários países africanos com progressos significativos na eliminação das duas doenças. Na América Latina, três países – Colômbia, Equador e México – já receberam a confirmação por parte da OMS de que a cegueira dos rios foi erradicada. Ambas as doenças, a cegueira dos rios e a filariose linfática, estão registadas pela Organização Mundial da Saúde como doenças tropicais negligenciadas, mas referenciadas como doenças a erradicar a nível global.

Atualmente, o PDM é o programa em curso de doação de um medicamento para doenças específicas mais longo da história, e a sua existência influenciou de forma significativa o desenvolvimento de um conjunto de programas de doação de medicamentos. Paralelamente,a estratégia utilizada pela equipa responsável pelo PDM para distribuir Mectizan, permitiu ganhos significativos nos serviços de saúde ao ser introduzido em comunidades remotas onde os serviços de saúde são limitados. O Programa impacta mais de 250 milhões de pessoas anualmente nas áreas afetadas, com mais de dois milhões de tratamentos doados desde 1987.

“Quem pensaria, quando anunciámos as primeiras doações de Mectizan em 1987, que estaríamos a contribuir para erradicar uma doença”, diz Adrian Hopkins, Responsável do Programa de Doação de Mectizan e Membro da Ordem do Reino Unido como reconhecimentoa este exemplo de serviço humanitário. “O Mectizan impacta a vida e a economia destas comunidades”.

O Dr. William C. Campbell foi entretanto distinguido com o Prémio Nobel de Medicina 2015, a propósito da descoberta do Mectizan no tratamento da cegueira dos rios e da filariose linfática.

O que é a Cegueira dos Rios?
  • Uma das principais causas de cegueira prevenível do mundo.
  • Transmitida através da picada de moscas pretas – que vivem e se reproduzem em riachos de correntes rápidas e rios – e podem causar comichão intensa, lesões oculares e cegueira.
  • Historicamente prevalente em áreas rurais remotas em 36 países (África, América Latina e Iémen).
O que é a filariose linfática?
  • Também conhecida como elefantíase, resulta na deformação e inchaço dos membros e dos órgãos genitais.
  • É uma infeção parasitária cujo contágio se faz pelos mosquitos, e que destrói o sistema linfático humano.
  • Mais de 1.3 milhões de pessoas estão em risco e 30% das pessoas infetadas vivem em África.

As pessoas nas comunidades são uma parte integral do processo de distribuição em mais de 146 mil comunidades onde o Mectizan foi já distribuído. De acordo com Uche Amazigo, Diretor do Programa Africano de Controle de Cegueira dos Rios, “ao envolver as pessoas, a abrangência do tratamento aumenta exponencialmente”.

Conheça a nossa história com mais de 25 anos a ajudar a disponibilizar tratamento a todos os que são afetados por cegueira dos rios e filariose linfática
  • Aproximadamente 30 anos depois os resultados do Programa falam por si
  • Mais de 2 biliões de tratamentos
  • Mais de 146 mil comunidades

Devido aos esforços de um conjunto diverso de parceiros, mais de 2 biliões de tratamentos foram doados em mais de 146 mil comunidades em 29 países de África, 6 países na América Latina e Iémen. A transmissão de cegueira dos rios foi interrompida – o que significa que não existem novos casos identificados – em 4 dos 6 países afetados na América Latina e em 5 países Africanos. O programa envolveu mais de 250 milhões de pessoas anualmente nas áreas afetadas.

Atualmente, o PDM é o programa de doação de um medicamento para doenças específicas mais longo da história.

“Estamos orgulhosos pelo intenso trabalho de aliança de parceiros para proteger as gerações futuras de uma doença que traz implicações devastadoras para as pessoas, as famílias, os sistemas de saúde e as economias locais”, refere Ken Frazier Presidente da MSD.

Parcerias

Organização Mundial de Saúde, Banco Mundial, Task Force Global Health, ministros da Saúde, organizações não-governamentais, instituições académicas e comunidades e comunidades endémicas.

Em Julho de 2000, nasce a ACHAP, uma parceria inovadora entre o Governo do Botswana, a Fundação Bill & Melinda Gates e a Merck & Co., Inc., USA destinada a prevenir e tratar a SIDA naquele país, onde cerca de um terço (38%) da toda a população adulta é seropositiva.

A redução da incidência e o reforço do diagnóstico e tratamento da doença são garantidos através de modernos programas de prevenção, aumento do acesso aos cuidados de saúde, gestão dos doentes e aplicação de terapêuticas inovadoras. A parceria parte do princípio que a luta contra o VIH/SIDA só será bem sucedida se englobar, em simultaneidade e sustentada cooperação, todas estas vertentes. A ACHAP (African Comprehensive HIV/AIDS Partnerships) patrocinou a construção novos centros de tratamento,de postos clínicos, recrutou técnicos de saúde, fundou uma estrutura de informação, educação e comunicação (IEC) que conta com o contributo de agências de relações públicas e de publicidade em campanhas destinadas a promover mudanças comportamentais entre a população do Botswana. A acção da parceria tem reflexos significativos ao nível da prevenção nas escolas onde se tem tentado quebrar os silêncios sobre a doença e a encorajar o sexo seguro. Outro dos aspectos relevantes da iniciativa prende-se com a promoção da adesão à terapêutica, que é crucial no caso da SIDA. Actualmente, no Botswana, 85% dos doentes a quem são prescritas terapêuticas antiretrovirais seguem à risca e de forma continuada o conselho médico.

Tal como com o programa MECTIZAN, a parceria no Botswana tenderá a servir de modelo a iniciativas similares em todo o Mundo.