Hero image

HPV – Papilomavírus Humano

HPV- Doença na idade adulta

O que é?

O vírus do papiloma humano (HPV) um vírus muito frequente e contagioso e é responsável por um elevado número de infeções que, na maioria, das vezes não apresentam sintomas e são de regressão espontânea. É muito frequente, de transmissão sexual e infeta 75 a 80% das mulheres e homens ao longo da sua vida, a grande maioria enquanto jovens adultos.

Este vírus pode ser transmitido facilmente, sendo que na maioria dos casos o organismo consegue eliminá-lo. Porém, noutras pessoas, o HPV não desaparece e pode causar vários cancros e doenças genitais em homens e mulheres. O uso de preservativo é importante, protege das infeções sexualmente transmissíveis e de uma gravidez não desejada, mas não assegura uma proteção completa no caso do HPV.

Mas alguns tipos de HPV podem ser prevenidos através da vacinação. A vacinação é eficaz para prevenir novas infeções, mesmo que já tenha estado em contacto com o vírus.

 

Mulheres

A Sociedade Portuguesa de Ginecologia recomenda a vacinação das mulheres não abrangidas pelo Programa Nacional de Vacinação (PNV), de acordo com a indicação do médico.

Em Portugal, estima-se que cerca de 20% das mulheres entre os 18 e os 64 anos possam estar infetadas por um ou mais tipos de HPV.

O Papilomavírus Humano ou HPV é um vírus que também pode infetar mulheres mais velhas. É um vírus que se pode transmitir facilmente durante qualquer tipo de contacto sexual, genital ou oral. Por isso, poderá ficar infetada, mesmo que não tenha relações sexuais.

O HPV é hoje considerado o 2º carcinogéneo mais importante, logo a seguir ao tabaco. Está associado a 5% dos cancros, no geral e a 10% dos cancros na mulher.

Teste o seu conhecimento sobre HPV nas mulheres no site da Liga Portuguesa Contra o Cancro

 

Homens

Os homens podem reduzir a carga de doença associada ao HPV se forem vacinados.

Estima-se que entre 75 a 80% dos homens serão infetados pelo HPV em determinado momento da sua vida. Na maioria dos casos o organismo consegue eliminar o vírus, mas quando isso não acontece, pode desenvolver-se doença genital:

  • Cancros e lesões pré-cancerosas: do pénis, do ânus e da cabeça e do pescoço.
  • Verrugas ou condilomas genitais.

Teste o seu conhecimento sobre HPV nos homens no site da Liga Portuguesa Contra o Cancro

 

Quais são os sintomas?

O HPV provoca frequentemente uma infeção silenciosa em que muitos dos infetados não têm sintomas nem sinais óbvios. Por vezes as verrugas estão presentes, mas não são visíveis por se encontrarem numa parte interna do corpo ou por serem muito pequenas.

Existem mais de 120 tipos diferentes de HPV, dos quais 40 afetam preferencialmente os órgãos genitais (vulva, vagina, colo do útero, pénis e ânus). Dividem-se em tipos de alto e baixo risco, em função das doenças que causam.

Nos HPV de alto risco incluem-se os tipos 16 e 18, que são responsáveis por 75% das lesões mais graves (cancerosas). Nos HPV de baixo risco estão incluídos os tipos 6 e 11, que são responsáveis pela maioria das doenças benignas causadas pelo HPV, das quais as mais frequentes são os condilomas ou verrugas genitais.  

Que tipos de cancro podem ser causados pela infeção por HPV?

  • 100% dos cancros do colo do útero
  • 99% dos condilomas ou verrugas genitais
  • 84% dos cancros do ânus
  • 70% dos cancros da vagina
  • 47% dos cancros do pénis
  • 40% dos cancros da vulva
  • 35.6% dos cancros da orofaringe
Para mais informações consulte o site da Liga Portuguesa Contra o Cancro - hpv.pt  

Verdadeiro ou Falso?

  1. A infeção por HPV é a infeção de transmissão sexual mais frequente
    RespostaVerdadeiro
  2. A vacinação contra o HPV também mostrou ser eficaz em quem já iniciou vida sexual
    RespostaVerdadeiro
  3. O HPV provoca doença apenas em mulheres
    RespostaFalso
  4. O HPV só se transmite através de relações sexuais com penetração
    RespostaFalso
  5. A vacinação contra o HPV está indicada em mulheres e homens
    RespostaVerdadeiro
  6. O uso de preservativo não protege completamente da infeção por HPV
    RespostaVerdadeiro
  7. No caso da prevenção do cancro do colo do útero, é importante manter o rastreio mesmo se a mulher estiver vacinada
    RespostaVerdadeiro
pormenores de seringas
VEJA O VÍDEO

Como funcionam as vacinas?

O NOSSO TRABALHO CONTINUA

Conseguiram-se importantes avanços científicos no passado. Hoje, continua-se a trabalhar para alcançar grande feitos no futuro. A MSD permanece empenhada em ajudar a descobrir soluções para doenças que afetam pessoas de todas as idades em todo o mundo.

A MSD orgulha-se de fazer parte de colaborações sem precedentes para ajudar na luta contra o ébola. Através das quais, mantemos a tradição de trabalhar na investigação de vacinas para doenças infeciosas emergentes.

PT-NON-01514 01/22